"O sol que aparece depois da chuva é mais bonito que o sol de todo dia." (Gabriel Chalita)

Palavras de sabedoria devem ser descobertas e expostas para todos. Deus, palavra que eterniza no tempo toda sua forma de amar e poematiza sua presença fraterna no meio dos seus. Precisamos aprender a sermos servos, escravos do Amor Eucarístico. Independente de telhados religiosos, precisamos apenas aprender a confiar n'Aquele que as razões humanas não serão capazes de demonstrar; e isso é muito bom. Amar por aquilo que sente e não pelo que se tem. Somos inconstantes. Mesmo nas coisas do Céu, somos impacientes a tal ponto que não esperamos, mas hora ou outra nos deparamos com coisas e situações que nos dão sinal de ordem. Não temos a capacidade de compreendermos o que é de fato o Amor de verdade, mas mesmo assim, Ele vem visitar-nos a cada instante, basta apenas abrir-mos a porta. Longe de "conversões", Deus é algo tocável, experimentando pelo gesto carinhoso de Sua Palavra e por aqueles que Ele mesmo enviá para falar dela para cada um, distantes ou não. Padres, Pastores, Missionários... Cristãos, Judeus... Servos do Amor! Independente, todos são chamados a caminhar em uma unica direção: aos filhos de Deus que ainda não conseguiram enxergar a beleza que tem o Céu. Que gosto tem a Misericórdia de Deus.

2 de novembro de 2010

Carta em papel de caderno e caneta preta

Existem coisas que tem a sensível capacidade de fazer com que se toque o inalcansavel as razões humanas e situações aparentes que nos revelam a grandes manifestação de deveres cumpridos. Assim é a vida dos chamados homens de um futuro Bom. Não o espaço de tempo que nos separa da realidade do agora, mas o que nos liga a algo imensurávelmente Bom.

Com essa certeza, nos é proposto o jogo das palavras barateiras de um diálogo simples, que transcreve a nossa grande pequenez diante dos pilares sobrenaturais ao qual seremos submetidos um pouco além.

Sabendo das incoerências que somos e aos pressupostos acertos de que nos rodeamos, somos chamados a alargar a ala de possibilidades do diálogo e a tentativa inconstante em comunicar-se. E dessa forma, resolvi, como outros tantos, um diálogo proposital, cheio de verdades e descontentamentos. 

O ponto de partida, é saber que Deus está longe da gente. E com isso, tentar imaginar o por que de tentar uma aproximação tardia. O que talvez pudesse acarretar a mais desilusões e rebeldias a mais. Porém, fui me cercando de meios e artifícios que me mostrou a aproximição daquele que um dia me deixou por minhas escolhas partir. Aquele que me fez pensar e ter minhas próprias razões. O mesmo que me esperou para abrir e dizer-se por si mesmo o quanto me ama.

A voz embargada dentro de mim, era a Voz dele me reorganizando:

Te amo, do jeito que é. O seus questionamentos acerca de mim, que ressoam como poesia as minhas distrações. Saiba que questiono junto com você. Não tenha medo das perguntas. Elas servem para nos dar vida e não pararmos diante das coisas mais fáceis. Amo cada detalhe em você. Mesmo aquelas que sua humanidade lhe traçou. Elas são para mim, ponto estratégicos de reconhecimentos de uma singularidade unica sua. São os traços que só cabem a você definir se são certos e errados, a mais ninguém, mesmo que outrora eu apenas as citei como ponte de verdadeira derrocada do meu povo antigo. Tenho em você, a certeza de que existem pessoas que entenderam de fato a liberdade que foi dada, não se limitou a pensamentos mesquinhos de minha crueldade em deixar que fizessem o que fizessem e que teriam que responder a mim. Você entendeu que eu vos fiz mesmo livres, para que vivessem e caminhassem com as próprias pernas. Amo quando se afasta de mim, e me torna seu mais terrível inimigo. Conhecendo-te como conheço, sei que isso não dura muito tempo, e que logo se entrega aos braços de quem tanto odeia. E isso te torna mais amigo. Deves saber que te amo sempre. Amo quando me torna substantivo em suas prosas. É isso que eu quero. Estar junto de você como algo que caía bem em seus momentos. As suas metamorfoses, justificam os seus sonhos. E quanto a eles, só cabem a mim e a você. Claro, tens o direito de dividir com quem mais quiser, mas que os seus sonhos, são desenhos em meu corpo, como você faz no seu. Não abro mão dos seus sonhos, mesmo quando você mesmo já desistiu deles. Não importa os olhos julgativos dos que te cercam. O que nos interessam são as nossas prosas, os nossos encontros e os nossos sonhos, que serão planos de um projeto de vida em que eu não me afastarei de você e nem você de mim.

Por vezes, o que restará será o profundo silêncio, seguido de uma prece velada pela amabilidade experimentada. Percebe-se que até aqui, pelas dores ou não, apenas vivemos mais uma etapa de nossa vida. O que não significa motivos para outros se virarem para quem quer que seja e diga que está tudo errado. A aceitação maior se dá quando o coração encontra com Aquele que de verdade importa. Independente, somos seres diferentes e por isso não temos o direito de cobranças que não competem a outros realizarem.

E o que eu, na primeira pessoa do singular tenho a dizer, é que me encontro em primeira pessoa do plural. Nós. Deus, meus amigos e eu.

2 comentários:

Anônimo disse...

' Texto lindo, lindo... Me fez sentir melhor e a realmente repensar certas coisas ! Amo vc ♥

KinhO disse...

Parabéns meu irmão. Um texto maravilhoso que certamente tocará muitas pessoas. Deus te abençoe. Tamô junto!